POR

PALESTRANTES

Grandes nomes da arquitetura mundial já confirmaram participação como palestrantes no UIA2020RIO. Confira:
ADRIANA LEVISKY
Brasil
×
ADRIANA LEVISKY
Brasil
Sócia titular do escritório LEVISKY Arquitetos|Estratégia Urbana, a arquiteta urbanista Adriana Levisky é membro do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura - regional São Paulo (AsBEA-SP); membro da Comissão de Edificações e Uso do Solo (CEUSO); conselheira do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo (CAU/SP); e membro representante da FecomercioSP na Câmara Técnica de Legislação Urbanística (CTLU) e no Conselho de Preservação da Paisagem Urbana (CPPU).
O LEVISKY Arquitetos|Estratégia Urbana é um escritório de projetos arquitetônicos, sobretudo institucionais, nas áreas da educação, da saúde e da cultura, de projetos urbanos e de consultoria estratégica. A partir de uma visão que une criatividade e inovação, elabora soluções e ações específicas relacionadas às questões de legislação urbanística e edilícia, ao desenvolvimento e aprovação de empreendimentos complexos, bem como relacionadas à elaboração de acordos de vizinhança e à viabilização de interlocuções e modelos de cooperação público-privados. Com um portfólio que traz mais de 15 milhões de metros quadrados desenvolvidos em projetos, atualmente o escritório utiliza a tecnologia BIM (em inglês, Building Information Modelling) em muitos projetos, sempre em busca de mais qualidade e eficiência. É reconhecido por uma atuação focada em requalificação dos espaços públicos e privados para a valorização urbana e a melhora da qualidade de vida nas regiões metropolitanas.
Alguns dos seus projetos premiados são: o Senac São Miguel Paulista (finalista no Cityscape Award 2018 e selecionado na Bienal Iberoamericano de Design 2018); o Plano Diretor do Hospital Albert Einstein (Prêmio Melhor da Arquitetura 2011); e a Praça Victor Civita – Museu Aberto da Sustentabilidade (Prêmio IAB 2008).
ADRIANO MASCARENHAS
Brasil
×
ADRIANO MASCARENHAS
Brasil
Formado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Bahia, Adriano Mascarenhas iniciou sua carreira trabalhando com iluminação de monumentos para uma multinacional francesa. Depois, associou-se ao também arquiteto David Bastos, com quem assinou vários projetos no exterior. Em 2008, fundou o seu próprio escritório, o Sotero Arquitetos, e, além de residências, passou a atuar em projetos de grande escala na área pública e no urbanismo.
É de sua autoria a Casa do Bomba, feita em concreto aparente e encravada no Parque Nacional da Chapada da Diamantina (BA). A obra conquistou o prêmio “O Melhor da Arquitetura 2015”, da revista Arquitetura e Construção, na categoria Casa de Campo, e o Prêmio Asbea 2014, da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura, na categoria Residências, modalidade Obras Concluídas. Foi também destacada em várias revistas, entre elas a IW Magazine, de Taiwan.
Nos últimos anos, Adriano assinou uma série de intervenções urbanísticas em Salvador. Entre elas, as requalificações da ladeira do Curuzu, do Caminho da Fé e da Colina Sagrada do Senhor do Bonfim, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
Outro projeto do arquiteto na capital baiana é o Tecnocentro, a sede do governo do Estado no Parque Tecnológico da Bahia - um prédio sustentável, com aproveitamento de água e energia solar. O projeto foi premiado pelo IAB-BA em 2013, recebeu menção honrosa da Asbea e ficou entre os finalistas do prêmio “O Melhor da Arquitetura 2012”.
AL BORDE
Equador
×
AL BORDE
Equador
Fundado em Quito, em 2007, o coletivo Al Borde é composto pelos arquitetos David Barragán, Pascual Gangotena, Marialuisa Borja e Esteban Benavides. O grupo enaltece o trabalho social e o envolvimento com as comunidades em que atua. Uma de suas obras de destaque é a Casa en Construcción, projeto de revitalização de um casarão no centro histórico de Quito, onde está instalada a sede do coletivo. Essa obra recebeu o prêmio Panorama Ibero-Americano de Obras, da X Bienal Ibero-Americana de Arquitetura e Urbanismo, realizada em São Paulo, em 2016, além do prêmio Lafarge Holcim Acknowledgement America Latina, em 2014. Em sua trajetória, Al Borde tem conquistado outras inúmeras premiações: em 2012, venceu o Prêmio Schelling de Arquitetura, na Alemanha, e ganhou a Medalha de Reconhecimento Cultural do Equador. No ano seguinte, faturou o Prêmio Mundial de Arquitetura Sustentável em Paris. Em 2014, os arquitetos foram nomeados para o Prêmio Internacional de Arquitetura Jovem Iakov Chernikov em Moscou e, em 2015, para o Design for the Year Award no London Design Museum. Em 2016, eles fizeram parte do comitê de Iakov Chernikov, em Moscou, e do comitê de nomeação para o Mies Crown Hall Americas Prize. E ainda integraram, naquele ano, a seleção oficial da Bienal de Veneza 2016.
CARLOS ALBERTO MACIEL
Brasil
×
CARLOS ALBERTO MACIEL
Brasil
Arquiteto e urbanista, mestre e Doutor pela Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais, Carlos Alberto Maciel é sócio fundador do coletivo Arquitetos Associados, com sede em Belo Horizonte, Minas Gerais.
Destacou-se pela atuação em projetos de espaços públicos e museus de arte, dentre os quais estão as galerias Miguel do Rio Branco e Cláudia Andujar, no Centro de Arte Contemporânea Inhotim (Minas Gerais), que conquistaram prêmios nacionais e internacionais.
Em paralelo, atua na área acadêmica como professor de Arquitetura e Urbanismo na EA-UFMG. É autor dos livros “Territórios da Universidade – Permanências e Transformações” e “Arquitetura como infraestrutura”.
FERNANDA BARBARA
Brasil
×
FERNANDA BARBARA
Brasil
Formada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP), onde também concluiu o mestrado, Fernanda Barbara é sócia fundadora do escritório Una Arquitetos e professora da Escola da Cidade.
Em 2015, foi professora convidada no curso de pós-graduação Des Mutations Urbaines, da École Speciale d'Architecture, em Paris, e, em 2017, conquistou o Diploma de Especialización en Investigación Proyectual, pela Facultad de Arquitectura, Diseño y Urbanismo da Universidad de la República, em Montevideo, no Uruguai.
Participou de seminários internacionais e proferiu palestras em Chicago, Paris, Porto, Lisboa, Querétaro, Santiago, Montevideu, La Plata.
Integrou a equipe curadora da representação brasileira na Bienal Internacional de Veneza, em 2006; foi júri do concurso internacional da Trienal de Arquitetura de Lisboa – Début Award – em 2016; e integrou a equipe de curadores da Bienal Ibero Americana de 2019.
Também recebeu diversos prêmios por projetos e obras construídas, teve projetos publicados em revistas nacionais e internacionais e expôs em quatro edições da Bienal de Arquitetura de Veneza. Em 2018, o Una Arquitetos foi finalista, com quatro projetos, no MCHAP Award de Chicago, Estados Unidos.
Em 2003, integrou a equipe do arquiteto Paulo Mendes da Rocha no projeto para candidatura de São Paulo à sede das Olimpíadas de 2012.
Atualmente é sócia também do escritório UNA Barbara e Valentim, que desenvolve projetos de edifícios de usos misto, exposições e residências, entre outros.
GUSTAVO DE OLIVEIRA MARTINS
Brasil
×
GUSTAVO DE OLIVEIRA MARTINS
Brasil
Gustavo de Oliveira Martins é mestre em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal Fluminense (UFF-RJ). Em 2000, em virtude do Primeiro Prêmio no concurso de ideias para o Museu do Telephone (atual Oi Futuro, no Rio de Janeiro), fundou o escritório OA – Oficina de Arquitetos ao lado de outros sócios. O escritório acumula mais de vinte premiações nacionais e internacionais, atuando principalmente em projetos institucionais de cunho educacional e cultural, como o Edifício para ANVISA/ PNUD, os complexos culturais Cine Teatro Mussi e Casa Polaski em Santa Catarina, e o Museu da Academia Nacional de Medicina (ANM-RJ).
Atualmente, é professor da Universidade Federal Fluminense e gestor nacional dos cursos de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estácio de Sá.
GUSTAVO UTRABO
Brasil
×
GUSTAVO UTRABO
Brasil
Formado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Paraná, em 2010, Gustavo Utrabo atuou na área acadêmica como professor convidado e palestrante em instituições renomadas, como Harvard GSD (Estados Unidos), Illinois Institute of Technology (Estados Unidos), University of Hong Kong (China), Future Architecture Platform (Eslovênia), Royal Institute of British Architects (Inglaterra), dentre outras. Foi fundador do escritório Aleph Zero, em Curitiba, e hoje está à frente do estúdio que leva seu nome, em São Paulo. Entre seus principais prêmios estão o RIBA International Prize (2018), RIBA International Emerging Architect (2018), ArchDaily Building of the Year na categoria Educational Building (2018) e Tomie Ohtake AkzoNobel (2017). Foi também finalista no Prêmio Mies Crown Hall Americas Emerge, do IIT College of Architecture Chicago (2018), terceiro colocado no Prêmio Oscar Niemeyer para Arquitetura Latino-Americana (2018) e finalista no Prêmio Harvard Wheelwright (2018). Seu projeto Moradias Infantis foi incluído na lista das 25 principais obras de arquitetura do século XXI pelo The Guardian.
JANE HALL
Inglaterra
×
JANE HALL
Inglaterra
Jane Hall estudou arquitetura no King’s College de Cambridge e no Royal College of Arts, em Londres. Ela foi a primeira pessoa a receber a bolsa de estudos Lina Bo Bardi do Conselho Britânico, em 2013, desenvolvendo uma pesquisa sobre novos modelos da prática de arquitetura no Brasil inspirados pelo trabalho de Lina Bo Bardi, arquiteta modernista que foi um dos maiores ícones do século XX.
Em seu doutorado, aprofundou esse estudo inicial para examinar criticamente as mudanças no papel do arquiteto e os métodos alternativos de design arquitetônico que estão se desenvolvendo.
Membro fundadora do coletivo de design Assemble, que venceu o Prêmio Turner em 2015, ela trabalha com práticas interdisciplinares entre artistas e arquitetos. Também é autora do livro Breaking Ground, Architecture by Women (Phaidon, 2019), que traz uma análise histórica e ilustrativa das contribuições extraordinárias que mulheres ofereceram para a arquitetura a partir de 180 projetos. Trabalhos de Jane sobre espaço público, ocupação e ação coletiva já foram publicados nas revistas Blueprint e Architecture Review.
LUA NITSCHE
Brasil
×
LUA NITSCHE
Brasil
Natural de São Paulo. Lua Nitsche formou-se pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, em 1996. Trabalhou com Felipe Crescenti, Isay Weinfeld, André Vainer e Guilherme Paoliello, antes de fundar, em 2001, o seu próprio escritório, Nitsche Arquitetos Associados, com o irmão Pedro Nitsche.
Desde então, seus projetos têm conquistado inúmeros prêmios. Em 2003, a Residência Barra do Sahy venceu o Prêmio Planeta Casa, da revista Casa Cláudia, na categoria Projeto Arquitetônico. A Residência São Francisco Xavier, projeto de 2009, ganhou o 4° Prêmio O Melhor da Arquitetura, na categoria Residência no Campo. O Edifício Comercial João Moura foi reconhecido pelo IAB-SP, em 2012, com o Prêmio Flávio Império, na categoria design, e com o Prêmio de Melhor Obra Construída. O Edifício também rendeu à Lua o Prêmio Jovens Arquitetos, em 2009.
Lua Nitsche também se dedica à área acadêmica: desde 2009, é professora na Escola da Cidade - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e lá concluiu, em 2015, o curso de pós-gradução “Arquitetura, Educação e Sociedade”.
MARCELO FERRAZ
Brasil
×
MARCELO FERRAZ
Brasil
Nascido na pequena Carmo de Minas, no sul do estado de Minas Gerais, Marcelo Ferraz mudou-se para São Paulo para cursar Arquitetura na FAU-USP. Formou-se em 1980. Colaborou com Lina Bo Bardi em todos os projetos por ela realizados entre 1977 e 1992, entre eles o do Sesc Pompéia, na capital paulista. Foi também colaborador de Oscar Niemeyer, em 2002.
Em 1977, criou, com Marcelo Suzuki e Francisco Fanucci, o escritório Brasil Arquitetura, atualmente com uma equipe de oito arquitetos. Foi diretor do Instituto Lina Bo e Pietro Maria Bardi e do programa Monumenta, do Ministério da Cultura, para recuperação de cidades históricas.
Na área acadêmica, foi professor convidado na Washington University, nos Estados Unidos. É autor dos livros Arquitetura rural na Serra da Mantiqueira (1992), Lina Bo Bardi (1993) e Arquitetura Conversável (2011).
MARIO FIGUEROA
Brasil
×
MARIO FIGUEROA
Brasil
Arquiteto e urbanista formado pela PUC-Campinas (1988) e com Doutorado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP (2002). Foi coordenador na FAAP (São Paulo, SP) de 2013 a 2015. Atuou como professor na Universidade Mackenzie (SP) de 1993 a 2013, onde também criou e coordenou o curso de pós-graduação “O Projeto de Arquitetura para a Cidade Contemporânea”. Desde 2006, é professor na Escola da Cidade e, desde 2017, é professor visitante na UDC (Foz do Iguaçu, Paraná). Prepara para 2020 uma cátedra para o curso de pós-graduação da “Escuela Radical”, no México.
Há mais de 10 anos, tem atuado com frequência como conferencista convidado em eventos acadêmicos e profissionais, no Brasil e em demais países ibero-americanos. Além de premiações e homenagens acadêmicas e profissionais, já obteve 21 prêmios em concursos públicos de Arquitetura e Urbanismo, dois deles internacionais. Suas obras, tanto projetos como ensaios, têm sido publicadas com frequência em distintos idiomas ao redor do mundo.
Alguns dos seus croquis para a criação do Museu da Memória, em Santiago (Chile), estão nas coleções de arquitetura do Centro George Pompidou, de Paris (França), e da Casa da Arquitectura, em Matosinhos (Portugal). Nesses lugares, os croquis foram expostos nas mostras “Permanence et Rupture” (Paris, 2015) e “Infinito Vão” (Matosinhos, 2018-19).
O NORTE
Brasil
×
O NORTE
Brasil
Logo depois de formados na Universidade de Pernambuco, os arquitetos Bruno Lima, Chico Rocha e Lula Marcondes fundaram, em 1998, O Norte – Oficina de Criação. Trata-se de um centro de produção de arquitetura, design, artes visuais e projetos culturais, que busca difundir e enaltecer a arte e a cultura brasileiras, sobretudo das regiões norte e nordeste. O trabalho do grupo vem sendo reconhecido e premiado: a Escola Novo Mangue, por exemplo, venceu, em 2002, um concurso organizado pelo UNICEF e Prefeitura do Recife e rendeu ao escritório o convite para representar o Brasil na 15ª Bienal Internacional de Arquitetura de Veneza, em 2016. O Norte também foi selecionado para participar da V Bienal Ibero-Americana de Arquitetura e Urbanismo, em Montevidéo, Uruguai, em 2006; ganhou o prêmio “Jovens Arquitetos 2004”, pelo IAB-São Paulo e Museu da Casa Brasileira; conquistou o prêmio IAB/PE em 2009, e, em 2010, foi escolhido pela Revista Arquitetura e Urbanismo como um dos 25 escritórios de arquitetura mais promissores no Brasil nos próximos 25 anos.
RAQUEL ROLNIK
Brasil
×
RAQUEL ROLNIK
Brasil
A paulistana Raquel Rolnik é arquiteta, urbanista e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP), onde concluiu a graduação e o mestrado. Cursou ainda o doutorado na Graduate School of Arts and Science, da New York University.
Especialista em políticas habitacionais, planejamento e gestão do território urbano, Rolnik foi relatora especial do Conselho de Direitos Humanos da ONU para o Direito à Moradia Adequada. Também trabalhou como diretora de Planejamento da Cidade de São Paulo, coordenadora de Urbanismo do Instituto Pólis e secretária nacional de Programas Urbanos do Ministério das Cidades, entre outras atividades relacionadas à política urbana e habitacional.
É autora dos livros A Cidade e a Lei, O que é Cidade, Folha Explica: São Paulo e Guerra dos Lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças.
ZAIDA MUXI MARTÍNEZ
Argentina
×
ZAIDA MUXI MARTÍNEZ
Argentina
Nascida em Buenos Aires, Zaida Muxi formou-se na Faculdade de Arquitetura, Design e Urbanismo da Universidade de Buenos Aires e fez o doutorado na Escola Técnica Superior de Arquitetura de Sevilha. Desde 1990, vive em Barcelona, onde leciona na Escola Técnica Superior de Arquitetura. Foi diretora de Urbanismo do município de Santa Coloma de Gramenet e subdiretora da Escola Técnica Superior de Arquitetura de Barcelona. Trabalhou ainda para a Junta de Andalucía, para a Generalidade de Catalunya e para secretarias de habitação em São Paulo e em Buenos Aires.
Pioneira nos estudos urbanos de gênero, Zaida é co-fundadora do coletivo Col Lectiu Punt 6 e da rede de pesquisa Um día, una arquitecta, que busca dar visibilidade à produção mundial de mulheres na arquitetura. É autora dos livros Mujeres, casas y ciudades – Más allá del umbral e, junto a Josep Maria Montaner, Arquitectura y Política.


Realização

Promoção

Parceiros Institucionais

Apoio Institucional

Parceiro em Artigos & Projetos

Agência de Viagens

Expo

Produção

Secretaria Executiva